Tag Archives: logística de medicamentos

Logística Hospitalar: dois modelos de atuação
Logística Hospitalar: dois modelos de atuação

A logística hospitalar tem aprimorado bastante os seus modelos de atuação.

Por este motivo, destacamos dois modelos de logística hospitalar para que você possa avaliar o que melhor se adequa para a sua empresa:

Análise, programação e estudo de fluxo

O fluxo é uma das partes mais importantes para a gestão de logística hospitalar. É preciso pensar no fluxo de pacientes em diferentes períodos, tais como: festas, feriados prolongados, alta estação ou acidentes imprevistos. Essa projeção é responsável pela qualidade e também agilidade do atendimento.

Com o fluxo organizado e bem planejado, o hospital tem em vista uma gestão eficiente de equipe:  enfermeiros, médicos e outros profissionais de suporte estão sempre presentes atendendo demandas sem erro ou falta.

O fluxo da logística de medicamentos também está diretamente relacionado com o estoque de dosagens e insumos. A estocagem de materiais, quando não é feita no fluxo correto, tem grandes chances de resultar em perda por extravio, mau uso ou vencimento da validade.

É preciso pensar no fluxo também para programar o transporte de medicamentos e insumos. A estocagem deve ser feita pensando na usabilidade dos produtos e no tempo de validade de cada um.

Impacto econômico

O segundo modelo de logística e gestão hospitalar está relacionado com o impacto econômico positivo que esse sistema traz para a instituição.

Falando de equipe, quando temos funcionários ociosos por grandes períodos de tempo, isso representa perda para o hospital. A instituição está dispondo de diárias desnecessárias, podendo investir esses valores em melhorias do espaço, produtos, equipamentos, etc. Quando falamos em ociosidade, referimo-nos aos escalonamentos de equipes sem planejamento estratégico.

O impacto econômico positivo que um sistema de logística bem elaborado traz para as instituições é grande. É preciso pensar em empresas de armazenagem e transporte de medicamentos controlados. A terceirização desse serviço traz uma economia com equipe, equipamentos, estrutura e outros quesitos.

Além disso, o transporte refrigerado, sempre dentro das normas da Anvisa, diminui consideravelmente o risco de extravio de medicamentos e insumos.

A RV Ímola é uma empresa de logística hospitalar e transporte medicamentos refrigerados com gerenciamento de risco e outras soluções inteligentes para a sua empresa. Entre em contato com nossa equipe e conheça mais dos nossos serviços.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

 

Logística de Medicamentos: boas práticas para o setor
Logística de Medicamentos: boas práticas para o setor

Logística de medicamentos faz o mercado de genérico crescer 32% em 2018.

Isso mesmo. Neste ano, a logística de medicamentos fez o mercado de medicamentos crescer consideravelmente, indo na contramão de diversos outros setores da economia no Brasil.

Mas, mesmo favorecendo o crescimento, o sistema de distribuição de medicamentos ainda encontra algumas barreiras por falta de conhecimento dos demais setores. Por esse motivo, procuramos destacar aqui como esta metodologia tem sido eficaz nos processos:

Operações eficientes e otimizadas

Percebemos como a logística na indústria farmacêutica vem mudando o mercado desde a década de 90. Mudanças ocorridas nessa época foram determinantes para o crescimento e surgimento de muitas empresas de transporte de medicamentos.

Houve uma queda de grandes patentes e a regularização dos medicamentos genéricos, em 1999, motivando as empresas e suas operações. O que era feito, sem grandes expectativas, ganhou otimização e eficiência. Empresas de Armazenagem e logística hospitalar passaram a ter outras expectativas a partir disto.

Hoje, as operações são feitas com muito mais segurança. O transporte de medicamentos refrigerados é feito completamente dentro das regras da Anvisa, permitindo que os insumos sejam entregues sem riscos e extravios.

Desafios no setor: logística farmacêutica com mais inovação

Apesar de toda a otimização e a eficiência nas operações, o processo de distribuição de medicamentos, quando não realizado com os devidos cuidados, ainda demonstra falhas quanto à inovação desse gerenciamento.

O gerenciamento de risco, por exemplo, já era para ser algo comum e presente, principalmente no transporte de medicamentos controlados. Contudo, o que vemos é a ausência dessas tecnologias de rastreamento em grande parte da distribuição de medicamentos.

Outro gap relacionado à inovação está na armazenagem. O transporte refrigerado, assim como os centros de distribuição, por vezes, não é tão climatizado como deveria. E isso pode comprometer a eficácia do produto.

A logística de farmácia a favor do crescimento

Empresas de logística têm ampliado seus serviços e suas tecnologias, no que diz respeito à distribuição farmacêutica, a fim de suprir toda a necessidade do mercado. É por isso que sua empresa deve conhecer o trabalho realizado pela RV Ímola.

A RV Ímola é uma empresa que realiza a logística hospitalar e a logística de medicamentos de maneira eficiente e inovadora. Temos uma equipe completamente capacitada para o transporte de medicamentos de forma segura e ágil. Para saber mais, entre em contato conosco.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Transporte de Medicamentos: regras da Anvisa
Transporte de Medicamentos: regras da Anvisa

Transporte de Medicamentos, comuns ou controlados, precisa ser feito dentro de algumas regras da Anvisa.

Os cuidados diferenciados no transporte de medicamentos devem seguir o padrão da agência reguladora para garantir a qualidade dos insumos. É preciso pensar em acondicionamento, na frota que realizará o serviço e, principalmente, nos riscos de extravio por má condução ou empacotamento. Veja quais são as principais regras da Anvisa:

Autorização para realizar o transporte medicamentos refrigerados

Todas as empresas de transporte de medicamentos precisam do AFE – Autorização de Funcionamento de Empresa. Essa concessão permite a distribuição de medicamentos comuns. Para quem precisa realizar o transporte de medicamentos controlados, a autorização é outra. Nesse caso, a agência libera a AE – Autorização Especial.

 

Criação de um manual de boas práticas de transporte e logística farmacêutica

Os sistemas de distribuição de medicamentos exigem práticas de boas maneiras, como informações sobre os processos internos das empresas de distribuição medicamentos. Informações sobre como os medicamentos são manuseados, conservados e transportados são fundamentais para o cliente. Com isso, a Anvisa também regulamenta a criação desse documento. Dessa forma, a logística de medicamentos é feita com o menor risco possível e totalmente dentro das legislações atuais.

Distribuição farmacêutica sempre em transporte refrigerado

As empresas de armazenagem e logística hospitalar precisam de uma frota completamente dentro das normas da Anvisa. O transporte dos medicamentos deve ser realizado em veículos refrigerados, com baús isotérmicos e com temperatura entre 2 e 8 graus. Além de soluções em logística para transporte de insumos, ainda garante o gerenciamento de risco, reduzindo o extravio e, consequentemente, o aumento de custo por produto.

 

Manipulação feita em condições totais de higiene

Todos os envolvidos no transporte dos insumos, precisam estar completamente higienizados, com equipamentos padrões de manipulação e desinfecção. A logística hospitalar precisa ser bastante criteriosa nesses quesitos. O comprometimento dos medicamentos pode causar a perda dos insumos e contaminação de pacientes ou funcionários (médicos, enfermeiros, etc.).

Como se percebe, as regras da Anvisa para transporte de medicamentos são bastantes específicas. Por isso, poder contar com uma empresa de gestão de suprimentos e logística hospitalar responsável pelo cumprimento de tais normas é imprescindível, além de evitar também multas e contratempos.

A RV Ímola é uma empresa de logística em São Paulo, com equipe especializada em gestão de medicamentos e logística de farmácia que faz todo transporte de insumos com segurança e dentro das normativas da Anvisa. Entre em contato e conheça mais.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Gestão Logística Hospitalar: estoque de farmácia
Gestão Logística Hospitalar: estoque de farmácia

Gestão Logística Hospitalar, quando realizada de maneira planejada, é a principal responsável por assegurar melhorias relevantes e o aumento de receita.

Diante disso, planejar o estoque para garantir um gerenciamento mais assertivo é de extrema importância dentro de uma administração, já que a organização dos medicamentos é peça-chave da gestão logística hospitalar, garantindo redução de falhas e, consequentemente, melhores resultados.

De acordo com pesquisas realizadas pela Anahp – Associação Nacional dos Hospitais Privados, somente no último ano, estima-se que, pelo menos, 11% das despesas dentro das instituições de saúde no Brasil são por falta de uma logística farmacêutica eficiente. E o principal desafio observado, no que diz respeito às farmácias, é a garantia de produtos para o momento certo, na hora certa, em menor espaço possível de aproveitamento. Ao que tudo indica, a falta de ferramentas adequadas para assegurar controle e movimentação desses produtos são um dos principais fatores que implicam neste processo.

É importante ressaltar que a utilização de recursos adequados minimiza desequilíbrios no armazenamento e possíveis interrupções de atividades. Por isso, algumas normas e padrões devem ser estabelecidos para garantir não somente a especificação e a qualidade dos medicamentos e insumos, como também a segurança do paciente.

Embora os custos de manutenção dos estoques sejam altos no Brasil, medidas simples podem auxiliar na manutenção dos custos dentro do orçamento. A RV Ímola, empresa especializada em logística hospitalar e logística farmacêutica, selecionou algumas dicas para você:

Planejamento de estoque – esta etapa é fundamental para melhoria de receita, já que possibilita, de maneira mais clara, a avaliação de todas as necessidades da instituição, eliminando possíveis déficits que possam comprometer o desempenho do gerenciamento do estoque.

Abastecimento de farmácia – é importante a manutenção de dados atualizados, tais como: catálogos de preços e fornecedores, certificações, condições de compra e pagamento, prazos de entrega, entre outros detalhes. Estudar a demanda de toda a cadeia, desde a compra até a sua distribuição, é a melhor forma de garantir uma logística de medicamentos mais eficaz e assertiva.

Execução do projeto – esta demanda envolve realização de pedidos e recebimento da compra. Nesta fase, é importante avaliar o sistema de controle, o espaço para armazenagem, assim como todos os mecanismos envolvidos no agendamento de compras e recebimentos de produtos.

Distribuição dos materiais e insumos – a distribuição possui uma série de etapas: implementação de pedidos, rótulos e embalagens, registro dos produtos e, por fim, a distribuição. Organizar esta cadeia é imprescindível para a garantia de entrega ágil e eficaz.

É importante observar também que a logística na indústria farmacêutica requer padronização de medicamentos, informações de fornecedores, controle da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, entre outros. Por isso, a importância de uma administração efetiva, a fim de minimizar problemas relacionados à desabastecimento, assegurando o acesso dos usuários aos medicamentos com mais segurança. E é justamente daí que nasce a necessidade da escolha de um parceiro logístico ideal para um tipo de atividade que inspira tantos cuidados.

Uma empresa de armazenagem e logística hospitalar é fundamental para garantir planejamento, implementação e controle de fluxo, assegurando abastecimento e resultados mais satisfatórios, e agregando valor à gestão hospitalar.

A RV Ímola, empresa especializada também em transporte de medicamentos, entende bem desses cuidados. Por este motivo, oferece total infraestrutura desde a tomada de pedido até a sua distribuição, com uma equipe altamente capacitada para prestar o melhor atendimento.

Para saber mais, entre em contato com a gente.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Logística Hospitalar: entenda
Logística Hospitalar: entenda

Logística hospitalar é um importante passo a ser dado por quem pretende manter uma gestão mais eficiente.

Isso porque, o gerenciamento de insumos e medicamentos dentro das unidades hospitalares e centros de distribuições vai muito além da realização de pedidos, controle e organização dos materiais nas prateleiras. A cadeia que envolve a armazenagem desses tipos de materiais exige cuidados minuciosos para a garantia de qualidade, segurança e eficiência nos processos. E isso só uma logística hospitalar é capaz de proporcionar.

Para que se compreenda de que maneira a gestão de logística hospitalar pode assegurar mais tranquilidade e confiança a esta cadeia, é preciso, antes de tudo, se conscientizar que embora seja uma atividade recente, aqui no Brasil, a logística de medicamentos já configura novos entendimentos no que tange à realidade hospitalar tanto para a redução de desperdícios quanto para a garantia de consumo consciente. Em suma, a coordenação desses cuidados, quando realizada com mais assertividade, desencadeia uma série de benefícios, tais como: setor mais produtivo e econômico; garantia de mais agilidade e eficiência nos processos de compra; controle em tempo real dos estoques; diminuição dos erros de administração de insumos e medicamentos; garantia de mais assertividade e segurança aos gestores, bem como toda a equipe envolvida nos processos, e, consequentemente, aumento de receitas.

Mas, afinal, como assegurar gestão e logística hospitalar mais eficaz? É possível?

Sim. E você verá que isso pode acontecer seguindo cinco passos. São eles:

  1. Automatização do armazenamento e controle de todas as etapas

Esta ação é fundamental para garantir produtos na quantidade certa, evitando, assim, desperdícios, em caso de perda de validade, ou falta de insumos e medicamentos, por não ter realizado o pedido em período correto. Quando o processo é automatizado, o controle do estoque é mais seguro e confiável.

  1. Separação de medicamentos com serialização

Uma outra etapa fundamental é a customização de embalagens que possibilitam administração conforme dose indicada para cada paciente. A iniciativa promove ao usuário o recebimento da dose certa, minimizando, assim sobras e desperdícios.

  1. Rastreio de medicamentos e materiais hospitalares

Conforme já mencionado no post, o processo de automatização confere maior segurança e controle de estoque. E quando esta etapa é acompanhada por rastreio, via código de barras dos materiais, o nível de confiança só tende a aumentar. Realizar o acompanhamento do transporte de medicamentos, desde a sua saída até a entrada nos centros de distribuições é de extrema importância para controle de estoque, eficiência na administração e práticas mais assertivas na gestão em ações de recall.

  1. Aposta em logística reversa para preservação do meio ambiente

Se descartados em lixos comuns ou esgotos, os medicamentos podem contaminar águas e solos, por conta dos seus componentes químicos, podendo desencadear intoxicação tanto nos seres humanos quantos nos animais. Quando os produtos vencidos ou em desuso recebem destinação final ambientalmente adequada, além de estar ajudando o meio ambiente, sua gestão contribuirá para melhor qualidade de vida, evitando, assim internações e acompanhamentos desnecessários.

  1. Mensuração de resultados

Realizar o mapeamento do fluxo, acompanhar os indicadores, entre outras ações de métricas são imprescindíveis para gestão logística hospitalar mais eficiente, controle de estoque e acompanhamento de demandas de cada unidade. Essa etapa possibilita resultados muito mais eficazes.

E, caso queira informações mais detalhadas sobre como tornar a logística hospitalar mais confiável e assertiva, clique aqui e baixe nosso e-book.

RV Ímola, há 16 anos no mercado, tem total expertise em gestão hospitalar e logística na indústria farmacêutica. CERTIFICADA como uma das empresas Top Transporte 2018, a companhia possui ótimas referências, justamente por conta de um árduo trabalho desenvolvido com excelência no setor da saúde.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Transporte de medicamentos: entenda particularidades
Transporte de medicamentos: entenda particularidades

Transporte de medicamentos é um tipo de atividade que requer muitos cuidados, a fim de não comprometer a qualidade da carga.

Isso porque, antes de chegar às prateleiras, o transporte de medicamentos tende a percorrer longos caminhos sujeitos à condições não controladas, o que implica em algumas exigências que, geralmente, não costumam acontecer com produtos usuais. Por esse motivo, selecionamos aqui algumas dicas essenciais para garantir um transporte mais seguro e eficaz. Confira:

Regulamentações para o transporte de medicamentos

Em tese, não há lei específica que regulamenta o transporte de medicamentos, mas existem normas e fiscalizações que precisam ser cumpridas, a fim de garantir que a segurança da logística de medicamentos atenda às conformidades. E a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é um dos órgãos responsáveis por essas conformidades. As orientações podem ser encontradas no Manual de Boas Práticas no Transporte de Medicamentos, que tem por objetivo orientar operadores logísticos e transportadoras, em relação às condições adequadas de armazenamento, de acondicionamento, de movimentação e de distribuição.

Ainda segundo a Anvisa, os principais cuidados que precisam ser observados, tanto no período que antecede o transporte de medicamentos, quanto o período do trajeto são:

Gestão da armazenagem – Ou seja, a garantia de qualidade dos produtos começa bem antes do transporte. Essa etapa é fundamental para garantir uma logística de medicamentos mais eficaz. Os cuidados com o estoque e armazenagem são de extrema importância. Do contrário, todo o esforço empregado será em vão.

Equipe profissional e regulamentada – Sem dúvidas, o transporte de medicamentos deve contar com um farmacêutico que possua Certificado de Regularidade do Conselho Regional de Farmácia — documento de extrema importância exigido pela Anvisa – que assegura o exercício da atividade.

O especialista será responsável pela inspeção das condições dos medicamentos para o transporte, como conservação, acondicionamento, higiene, além de outros elementos que possam interferir na segurança da distribuição.

Processo de Embalagem – Para evitar transtornos, é imprescindível que haja atenção especial com as embalagens. Recomenda-se caixas adequadas e que sejam proporcionais ao tamanho do espaço, a fim de evitar riscos de rompimento. Além disso, acondicionar o material em caixas apropriadas é muito importante para manutenção da temperatura, como o caso das caixas de isopor, por exemplo.

Outros cuidados necessários para garantir uma logística de medicamentos mais segura são os planejamentos de rotas e rastreamento de cargas, sendo este último imprescindível para monitoramento da carga. Em caso de roubos, falhas operacionais com o veículo ou extravio dos produtos, a central de monitoramento consegue acompanhar, em tempo real, todo o percurso, propondo iniciativas rápidas e assertivas para sanar possíveis problemas.

Para garantir que todas as exigências sejam cumpridas e que a logística na indústria farmacêutica seja eficaz, conte com os serviços de uma empresa de transporte de medicamentos especializada no assunto.

A RV Ímola é uma das empresas de distribuição medicamentos mais confiáveis do mercado. Com um time de especialistas, moderna infraestrutura e tecnologia de ponta nos processos, a organização oferece os melhores serviços do mercado, no que diz respeito à logística hospitalar controle de estoque e no transporte de medicamentos. Para saber mais, entre em contato com a gente!

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Logística e Gestão Hospitalar x indústria 4.0
Logística e Gestão Hospitalar x indústria 4.0

Logística e Gestão Hospitalar, aliados ao conceito da indústria 4.0, têm revolucionado o setor de saúde.

Isso ocorre porque o processo de integração entre tecnologia, logística e gestão hospitalar tende não somente a minimizar os custos por meio da redução de desperdícios, como potencializar o tempo de trabalho em até 50% e aumentar a segurança e qualidade no atendimento dos pacientes.

Para o fundador do Instituto Latino Americano de Gestão e Saúde, Paulo Marcos Souza Senra, a tecnologia, além de ser uma importante aliada para tornar a gestão do setor mais eficiente, o paciente tem muito mais chance de ser empoderado sobre a própria saúde. “Só a tecnologia pode tornar a saúde mais eficiente, tornando a vida das pessoas muito mais fáceis. Ela é muito intensa no diagnóstico e no tratamento e, principalmente, na parte de gestão de dados”. O especialista chama a atenção sobre as informações serem muito analógicas ainda dentro dos hospitais: “quando um paciente procura uma unidade hospitalar, ou uma farmácia para ser atendido, ele tem que contar toda a sua história. E a cada hospital que chega, tem que contar novamente sua história, e começar do zero. Vai a um outro hospital, de novo; em um laboratório, de novo; vai à farmácia, de novo… com uma gestão de dados mais eficiente, o próprio paciente pode ter acesso ao seu prontuário e unificar as informações”, afirma o gestor.

Pensando nisso a PWC lançou o Double Jump Healthque acelera o ritmo da inovação na saúde centrada na pessoa e leva avanços médicos e científicos ao mercado mais rapidamente, já que os próprios consumidores gerenciam seu bem-estar, aliviando o sistema de saúde na administração de doenças crônicas.

A transformação digital na saúde tem sido amplamente debatida nos últimos 4 anos, tornando-se uma realidade cada vez mais necessária, senão obrigatória. Encontrar soluções que reduzam os custos e melhorem a qualidade dos serviços prestados à população, independentemente de a iniciativa ser pública ou privada são inerentes a sobrevivência das instituições hospitalares, vislumbrando que a população brasileira está envelhecendo e estatisticamente falando, o gasto com saúde em 2030 terá um aumento aproximado de 25% em consultas, exames e internações.

Neste cenário as informações geradas pelo operador logístico serão de suma importância, pois os gestores deixarão de ser passivos e se tornarão ativos mediante os índices que receberem.

Além disso, temos dois fatores primordiais que acabarão impactando na gestão de saúde num futuro próximo:

  • Evolução rápida e exponencial da tecnologia, associado ao crescimento da Geração Y e Z que se tornarão pacientes e médicos.
  • Aumento da capacidade dos hospitais no atendimento ao tratamento de processos de alta complexidade.

Sendo assim, vemos que na área da saúde, um setor complexo e altamente regulamentado, o desafio para viabilizar uma Health Tech vai além de um modelo de negócio.

Surgirão pacientes mais conectados, que só sairão de casa de forma remota, utilizando menos os hospitais, dando lugar a digitalização da área da saúde, favorecendo o surgimento de novos modelos de negócio com o empoderamento do paciente, envolvendo plataformas, aplicativos e telemedicina, prometendo uma nova abordagem para o futuro da cadeia da saúde no país.

Atualmente, existem aplicativos que ajudam desde o tratamento do paciente oncológico até o apoio ao familiar de um indivíduo com Alzheimer, BEABA e HIPERSENSE respectivamente. Já através de plataformas como a Balance Tech e a CM Tecnologia é possível prevenir a queda postural do idoso e de auto agendar consultas e exames.

E a Logística? Onde se aplica nesta enxurrada de inovações?

Não há dúvidas sobre a capacidade operacional da Amazon, que está no ranking das 10 empresas mais inovadoras do mundo em 2018.

Pois é, a Amazon também está preocupada com logística na área da saúde e anunciou um acordo para adquirir a PillPack, uma farmácia online que oferece doses pré-ordenadas de medicamentos e entrega em domicílio. O fundador da Amazon, Jeff Bezos, admitiu que o esforço para entrar no setor de saúde é um desafio. “O sistema de saúde é complexo e entramos neste desafio com os olhos abertos sobre o grau de dificuldade”. PillPack é uma farmácia de serviço completo, classifica e unitariza a medicação por dose unitária e realiza a entrega na porta do paciente, além de disponibilizar uma equipe de atendimento 24/7 via telefone, texto, e-mail e chat ao vivo.

A RV Ímola, atenta a este cenário de grandes transformações que impactam áreas importantes como Gestão Logística Hospitalar, Logística na Indústria Farmacêutica, Logística de Medicamentos e Transporte de Medicamentos, conta, por exemplo, com uma equipe que efetua 50.000 entregas ao mês na residência de pacientes que necessitam de medicamentos de uso contínuo, oferecendo soluções customizadas e recursos tecnológicos para otimização de toda a cadeia logística, contribuído com a melhora dos resultados financeiros de grandes organizações. Para saber mais, entre em contato com a gente!

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Logística Hospitalar: dicas para uma gestão eficiente
Logística Hospitalar: dicas para uma gestão eficiente

 

Logística hospitalar já representa um importante avanço no cenário da saúde, devido a sua alta capacidade estratégica de armazenar materiais.

Sendo um assunto bastante discutido na atualidade, os altos custos provocados pela administração ineficiente têm levado líderes e gestores a repensarem, com urgência, um modelo prático que otimize a gestão de clínicas e hospitais, trazendo melhorias tanto para a instituição, quanto para o paciente. E a logística hospitalar tem sido a melhor escolha, onde seu principal benefício está  na redução de custos na aquisição, movimentação e armazenagem de medicamentos e insumos, uma vez que a atividade garante maior controle de estoque, assegurando o produto certo, no momento certo, para o paciente certo, eliminando falta ou excesso de materiais.

Se por um lado há uma preocupação com os custos, por outro é preciso estar atento aos cuidados com a saúde. Para que a gestão de logística hospitalar se torne ainda mais eficiente, algumas iniciativas podem ser fundamentais para suprir, de forma rápida, as necessidades de uma organização. Vejamos:

Mapeamento de processos

Entender todo o sistema que rege a logística e gestão hospitalar, desde o planejamento das compras de medicamentos até a chegada ao consumidor final – paciente – , pode auxiliar na otimização e redução dos custos nas duas pontas: materiais e pessoas. Por isso, comece pelo planejamento, construa todo o fluxo, envolva a equipe, identifique os déficits, até que consiga reestruturar todo o processo e, por fim, reestruture o sistema, se houver necessidade.

Preparo do centro de distribuição

Medicamentos e insumos hospitalares devem ser armazenados com alto controle e rigidez, tendo em vista que são materiais perecíveis. Por esse motivo, estar atento aos detalhes pode fazer toda a diferença para a logística farmacêutica.  O ambiente deve estar sempre climatizado, na temperatura correta; assim como a organização dos materiais ser com total precisão, a fim de que não percam a validade. Uma boa dica de organização, por exemplo, é procurar colocar na prateleira da frente os medicamentos que mais são utilizados.

Mantenha laços com fornecedores

O fortalecimento de vínculos com fornecedores pode garantir reforço na eficiência da gestão logística de medicamentos, tendo em vista as possibilidades de manobras conjuntas que podem ser realizadas, em caso de  contratempos que possam surgir no meio do caminho da cadeia produtiva. Integrar o sistema que controla o estoque de medicamentos ao sistema de estoque de vendas do fornecedor otimiza pedidos e assegura abastecimento frequente. Esse tipo de logística pode evitar, por exemplo, o esquecimento de pedido por parte do funcionário que fica responsável pelo almoxarifado. Uma outra dica fundamental são as pesquisas em portais de compras como caminhos alternativos para pleitear melhores ofertas e prazos.

Uso da tecnologia a favor dos processos   

Explorar as facilidades propostas uso da tecnologia aumenta a eficiência de toda e qualquer empresa de logística hospitalar. Quando o sistema é integrado, o processo de comunicação é muito mais assertivo entre os setores e agiliza o trabalho de todas as equipes, o que garante aumento efetivo na produtividade e redução de falhas humanas. Sem contar que fica mais fácil e prático de monitorar  entrada e saída de medicamentos, através de rastreamento.

Uma outra sugestão também é o investimento em logística reversa, que possibilita reaproveitar medicamentos e insumos não utilizados na unidade origem para outras unidades médico-hospitalar. Formar parcerias com iniciativas públicas e privadas é uma ótima alternativa para manter a circulação desses medicamentos, suprindo a necessidade de toda população.

E, por fim, acompanhar os indicadores de desempenho é fundamental para garantir uma logística eficaz. Estipular metas de redução de custos com desperdícios, metas de qualidade na realização dos pedidos, agilidade nos processos internos são alguns caminhos que podem contribuir na otimização da gestão logística.

Esperamos que essas dicas proporcionem, de forma considerável, melhoria na eficiência dos processos. Se ainda assim não forem suficientes, busque auxílio de empresa especializada no assunto. A RV Ímola entende bem deste processo. Com todo know-how em logística hospitalar, a organização oferece as melhores soluções do mercado aos seus clientes, com melhor custo-benefício. Visite o site e conheça nossos serviços.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

 

Gestão de Logística Hospitalar melhora os resultados financeiros
Gestão de Logística Hospitalar melhora os resultados financeiros

Gestão de Logística Hospitalar é a decisão mais inteligente a ser tomada por gestores que buscam eficiência operacional e melhoria da receita.

E o motivo está na otimização da organização da cadeia de suprimentos que uma eficiente Gestão de Logística Hospitalar pode propor para o setor. Responsável por promover eficácia na administração de insumos e medicamentos, reduzindo desperdícios e impactos negativos na receita, a prática é de extrema relevância para o crescimento do hospital, embora muitos desafios pela frente ainda precisem ser alcançados. Um deles está na necessidade de introduzir na cultura dos profissionais de almoxarifados e equipes que lidam diretamente com esta rotina o valor que a implementação desse tipo de serviço pode proporcionar para o ambiente.

Nos últimos anos tem se observado que a prática da gestão profissional nesse segmento ainda é muito desprezada. E isso preocupa, uma vez que 50% do custo efetivo de uma instituição hospitalar está relacionado a insumos e medicamentos. Pelo menos 40% da receita médica origina-se desses materiais, o que exige uma gestão extremamente assertiva. Caso contrário, a ineficácia da administração pode comprometer diretamente o lucro da empresa, principalmente, por falta de logística na indústria farmacêutica.

Além disso, percebe-se também que a maior parte do erro da administração está na falta de foco para este tipo de ação, sendo a logística o último item da lista a receber atenção devida por parte dos gestores. A ausência de profissionais bem qualificados, com formações específicas, a falta de tecnologia avançada, com software de qualidade e carência de infraestrutura para armazenagem adequada são os principais fatores que contribuem na falha da gestão hospitalar.

Por isso, um dos caminhos para se resolver esses gargalos da logística de medicamentos sem dúvidas, é a quebra de uma arcaica cultura que muitos líderes e gestores ainda insistem em manter: profissionais que não estão preparados o suficiente para administrar um estoque complexo como o hospitalar, continuem nesta função.

É importante ressaltar que a logística e gestão hospitalar está além do conceito de administração de materiais e medicamentos, uma vez que estudos apontam que entre 35% a 50% dos custos de uma organização de saúde da iniciativa privada está relacionado à administração de estoque. A gestão responsável envolve todo um aparato que vai desde o controle dos papéis utilizados pela instituição no setor administrativo à administração de materiais complexos que suprem os centros cirúrgicos.

Quando se possui uma logística adequada do estoque, um dos maiores problemas é eliminado logo de cara: redução de desperdícios que, na maioria das vezes, ocorre por materiais e medicamentos vencidos e abastecimentos emergenciais. Um bom planejamento do estoque e do sistema de compras proporciona redução dos custos operacionais e, consequentemente, aumento do faturamento. Por isso, confiar este trabalho à empresas especializadas no assunto, é a decisão mais sábia para melhorar os resultados das instituições, já que o foco destas companhias está totalmente voltado para o suprimento das necessidades citadas.

A RV Ímola, por exemplo, é uma empresa de logística hospitalar que está no mercado há anos, apresentando as melhores soluções no que diz respeito a planejamento de compras, recebimento, armazenagem, unitarização, separação e abastecimento de todos os pontos de consumo dentro do hospital. Vale a pena conhecer essas e outras soluções. Para saber mais, entre em contato com a gente.

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

Logística Hospitalar: conheça as vantagens de terceirizar este serviço
Logística Hospitalar: conheça as vantagens de terceirizar este serviço

Logística hospitalar é uma prestação de serviços essencial para a redução de custos e a otimização da produção da organização.

Estima-se que os serviços terceirizados nesta área crescem até 20% ao ano. Por este motivo, a importância de sua adesão vem ganhando, cada vez mais, notoriedade no mercado. Mas você sabe como funciona a terceirização dos serviços de logística hospitalar?

A logística hospitalar é responsável por cuidar de todo o processo que envolve a aquisição, a armazenagem e o fluxo do produto até o seu consumo, visando a acuracidade do estoque, a rastreabilidade dos produtos e a diminuição dos custos de compras e de perdas dos mesmos. Esta iniciativa promove melhorias no que tange os processos internos da companhia, levando à redução de gastos e à otimização da produção, até chegar ao consumidor final. Esta é uma das diversas vantagens que estão levando as organizações a terceirizarem a logística e gestão hospitalar.

Na prática, a logística de medicamentos passa pelas seguintes etapas: inicialmente, ocorre a verificação de estoque, para ratificar as necessidades de compras dos medicamentos, bem como sua respectiva quantidade, a fim de evitar desperdício ou falta. O recebimento dos produtos, é efetuado por profissionais da área de logística, seguindo as especificações das ordens de compra emitidas pelo sistema integrado. O armazenamento só é realizado, após rígida conferência dos lotes e validade dos medicamentos, que após sua identificação passam pelo processo de unitarização. A estocagem é realizada com a separação de cada um dos lotes, por meio de alto padrão de controle, observando sempre as condições de armazenagem, qualificando, desta forma, a etapa que se segue: a distribuição. A distribuição pode ser interna ou externa. Em ambas as expedições o processo é realizado através de processos automatizados, que garantam a acuracidade e o controle do processo. Para abastecimentos externos, os produtos são encaminhados por meio de transportes específicos, sendo monitorados em todo o seu percurso, até o seu destino final, com protocolo automático do recebimento pelo usuário.

Vale ressaltar que a gestão de logística hospitalar é um setor tão relevante para o mercado que, frequentemente, passa por rigoroso controle de qualidade por parte do governo. Por serem cargas valiosas e frágeis, as empresas de transporte de medicamentos devem seguir normas e procedimentos à risca. Algumas delas são decisivas para o bom funcionamento do setor. São elas:

  • monitoramento contínuo;
  • veículo climatizado, para manutenção da armazenagem sob total controle;
  • depósitos que funcionem 24 horas por dia para casos de emergências;
  • Softwares seguros e eficientes para controle de medicamentos.

Hoje, infelizmente, o setor de saúde ainda registra grandes perdas de remédios e insumos. A RV Ímola, empresa especialista em logística e gestão hospitalar já chegou a reduzir mais de 70% destas perdas, com a implementação dos seus serviços.

Com total experiência em logística de medicamentos para hospitais e laboratórios, a RV Ímola assegura distribuição e armazenamento, sempre respeitando normas e exigências contidas na lei.

Por meio de uma logística eficiente, realiza cuidadosamente todas as etapas que envolvam a gestão hospitalar, desde o planejamento de compras, até o abastecimento de todos os produtos consumidos no hospital, incluindo o recebimento, armazenagem, unitarização , separação e entrega dos mesmos, até o consumo dos pacientes.

Para saber mais, entre em contato com a gente!

Clique aqui e curta nossa página no Facebook.

Para mais notícias, clique aqui.

DESEJA SABER MAIS SOBRE NOSSOS SERVIÇOS?